É necessário acompanhamento de alunos para não consumirem drogas nas escolas

Adolescentes, de 13 a 17 anos, consomem drogas na Cidade de Maputo, algumas das quais adquiridas nas imediações das escolas, segundo o Gabinete de Prevenção e Combate à Droga, que considera ser necessário capacitar os agentes indicados para travar o mal.

Continua a haver crianças envolvidas no uso de drogas, em particular do álcool, comprado nas proximidades de escolas, segundo explica o responsável do Gabinete de Prevenção e Combate à Droga, na capital do país, Hermenegildo Novela, sem avançar números concretos.

“Hoje em dia, os maiores consumidores de drogas são da faixa etária dos 13 a 16 anos, ou seja, temos mais adolescentes a consumirem drogas, nos últimos seis meses. Houve, este ano, uma redução de cerca de 7% se comparado com o ano de 2021,” avançou Novela.

Dados da Organização das Nações Unidas indicam que o álcool é o maior factor de risco de morte em adolescentes entre 15 e 19 anos, superando o uso de outras drogas.

Hermenegildo Novela acrescenta que “ao redor das escolas, havia senhoras que vendiam, até diziam que querem paizinho com ou sem – é uma forma de fazer chegar drogas nos adolescentes e jovens. Tivemos um encontro com os jovens e adolescentes, semana passada, na escola comercial, e os próprios alunos diziam que a Polícia devia revistar as meninas também, pois, por elas serem menos revistadas, podem entrar na escola com as drogas, o que, para nós, é difícil”, explicou o representante do Gabinete de Prevenção e Combate à Droga.

Para resolver o problema, Novela fala da necessidade de capacitar os núcleos distritais de combate a drogas e intensificar as palestras.

O uso de drogas pode desencadear outros problemas, incluindo comportamentais, e a psicóloga Lia Viegas sugere que “se as escolas públicas começarem a ter a presença de um psicólogo e maior parte das escolas privadas, é possível ter acompanhamento, principalmente, para crianças com transtornos de conduta.”

O responsável do Gabinete de Prevenção e Combate à Droga na Cidade de Maputo aponta a zona militar, conhecida como Colômbia, os bairros Alto-Maé e Chamanculo como os locais onde mais se consomem estupefacientes.

Fonte: O País

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *